Investimentos – Você sabe como comparar os seus fundos de investimento??

Por: Cristina Cardoso

Existem os mais variados fundos de investimentos: ações, renda fixa, indexados, multimercados, imobiliários e outros. Dentro de uma mesma classe, cada fundo possui um nível de risco diferente. Para ajudar na avaliação, foi criado o Índice de Sharpe.

O Índice é um indicador criado por William Sharpe, e permite fazer a avaliação relativa entre o risco e o retorno de determinado investimento. Ele tem o objetivo de mensurar qual é a relação entre o retorno excedente ao ativo livre de risco e sua volatilidade. Quanto maior o Índice de Sharpe, mais atraente é o retorno ajustado ao risco.

Ou seja, a partir do cálculo desse índice, é possível saber, na comparação entre dois fundos, o quanto de retorno excedente o fundo entrega para cada unidade de risco que toma.

Controle do Risco

Adicionar diversificação deve aumentar o Índice de Sharpe em comparação com carteiras semelhantes com variação menor. Assim, esse instrumento pode ajudar a explicar se os retornos excedentes de uma carteira são decorrentes de decisões inteligentes de investimento ou resultado de muito risco. Embora uma carteira ou fundo possa desfrutar de retornos mais elevados do que seus pares, só é um investimento sustentável se esses retornos mais elevados não chegarem com um excesso de risco adicional.

Como calcular o Índice de Sharpe

O cálculo usado é o seguinte:

Índice de Sharpe = (Rp – Rf)/OP.

Rp = Retorno do portfólio ou do ativo.

Rf = Risk Free Ratio é a taxa livre de risco, ou seja, no caso brasileiro é a taxa Selic, pois representa os investimentos mais básicos e com menor risco de mercado. É um ponto referencial para o cálculo.

OP = É o desvio padrão da performance do fundo, também conhecido como a volatilidade do ativo.

Como usar o Índice de Sharpe na prática?

Se o fundo 1 entregou um retorno de 20% ao seu cotista, enquanto o fundo 2, ambos de ações, entregou um retorno de 25%, qual destes fundos é o melhor para o investidor aplicar capital?

A resposta não é o fundo que entregou 25%, mas sim que depende: é necessário, antes de tirar qualquer conclusão, saber quanto risco cada fundo correu para chegar a este retorno.

O fundo 1 teve um desvio padrão de 2% em seu retorno enquanto o fundo 2 teve de 5%. Para ambos, a taxa livre de risco é de 10%.

Calculando Sharpe para o fundo 1: S = (20% – 10%) / 2%.

O retorno do fundo para cada unidade de risco é igual a 5.

Calculando Sharpe para o fundo 2: S = (25% – 10%) / 5%.

O retorno do fundo para cada unidade de risco é igual a 3.

Portanto, mesmo com um retorno menor, o fundo 1 foi mais eficiente para o cotista. O fundo 2 incorreu em alta volatilidade para entregar um retorno pouco superior.

O Índice de Sharpe pode ser usado para ajustar o perfil de investidor

O Índice mostra quanta volatilidade foi necessária para atingir a rentabilidade acima do esperado e do benchmark.

As carteiras ou fundos que têm um retorno mais alto vêm geralmente com risco significativamente maior. Mas isso não quer dizer que são, necessariamente, a melhor escolha. O Índice de Sharpe, geralmente, responde à seguinte pergunta: o quanto de risco você está disposto a correr para ter a chance de maiores rentabilidades? Dependendo do resultado, a resposta fica bem clara. Cabe a cada investidor determinar se está satisfeito em assumir o risco potencial para um retorno mais alto. É uma questão de preferência pessoal e de perfil.

There are no comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart