Economila – Hawkish e Dovish. Você sabe o que significam essas expressões e como influenciam os seus investimentos?

Por: Camila Abdelmalack

Recorrentemente, o noticiário econômico tem usado o jargão próprio para descrever a condução da política monetária adotada pelos Bancos Centrais ao utilizar os termos “hawkish” ou “dovish” para explicar o momento. Em português, Dovish ou “Dove” faz referência a “pomba”, enquanto Hawkish ou “Hawk” remete a “falcão”.

Atualmente, os investidores monitoram as indicações do Federal Reserve e do Banco Central do Brasil em virtude do cenário econômico “mais inflacionário”. Além dos comunicados e atas da reunião de política monetária, que podem ditar a condução nos próximos meses, os discursos dos membros do Comitê de Política Monetária também podem ser “tachados” de “hawkish” ou “dovish”.

Alterar a taxa básica de juros tem sido o instrumento usado pelos comitês de política monetária. Portanto, as orientações sobre o futuro da política monetária influenciam a performance dos ativos. Afinal, considerar mais ou menos juros altera a perspectiva do cenário econômico. Por isso, é importante compreender o significado dos jargões!

Vamos trazer isso na prática?

O Banco Central do Brasil, preocupado com o avanço da inflação no país, está elevando a taxa de juros ao ritmo de 0,75 ponto percentual desde março, quando a taxa era de 2,0%. Atualmente, com a taxa Selic em 4,25%, o Copom (Comitê de Política Monetária) indicou que está considerando uma elevação de juros em magnitude superior à que vem adotando. Essa indicação (conforme o trecho abaixo) foi classificada como “hawkish”:

“Frente à revisão da trajetória de política monetária implícita nas suas projeções, o Comitê avaliou uma redução mais tempestiva dos estímulos monetários já nesta reunião. Considerando os diversos cenários alternativos, o Comitê entendeu que a melhor estratégia seria a manutenção do atual ritmo de redução de estímulos, mas destacando a possibilidade de ajuste mais tempestivo na próxima reunião”.

Na maioria das vezes, o instrumento usado pelos comitês de política monetária é a alteração na taxa básica de juros. Isso porque é ela quem dita o ritmo da alocação dos investimentos e o custo de crédito. Menos dinheiro em circulação contribuiu para o controle inflacionário.

Ao mesmo tempo, o Federal Reserve (Banco Central norte-americano) vem mantendo a taxa de juros no mesmo patamar, mesmo vendo uma pressão inflacionária nos Estados Unido, que é resultado da recuperação da atividade econômica por lá. Assim, a postura do Federal Reserve foi apontada como “dovish”. Traduzindo, eles vão aceitar mais inflação para garantir a robustez da retomada econômica. Mas entra outro aspecto: o presidente da instituição acredita que essa pressão inflacionária é temporária, por isso não pretende elevar os juros nesse momento. Um Banco Central do Brasil mais “hawkish” e um Federal Reserve mais “dovish” contribuíram para a recuperação da nossa taxa de câmbio. Com os juros baixos nos Estados Unidos, o investidor estrangeiro procura alternativa de rentabilidade em outras economias. O Brasil, na cesta dos emergentes, é favorecido pelo fluxo. Mais entrada de dólares na nossa economia, seja na renda variável ou na renda fixa, corrobora com a valorização da taxa de câmbio. Agora, se o Federal Reserve alterar a postura, essa dinâmica no câmbio também será modificada.

There are no comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart