“Economila – “Expectativa do Mercado.” Quando você lê isso, sabe o que significa?”

O mercado financeiro trabalha em cima de expectativas, ou seja, com a antecipação de movimentos. Os ativos, seja ação ou renda fixa, precificam com base nas indicações do cenário presente nos eventos futuros. Por isso, quando lemos o noticiário ou conversamos com alguém do mercado financeiro escutamos: “a expectativa do mercado é …”.

O noticiário político e econômico influencia os ativos financeiros ao longo do dia. Mas, quando falamos nas “projeções do mercado”, o Boletim Focus, que é divulgado pelo Banco Central semanalmente, é onde estão reunidas as expectativas para os principais indicadores.

O Boletim Focus divulga uma média das expectativas de variados agentes do mercado (bancos, assets, consultorias, corretoras…) para uma série de indicadores econômicos. Acaba sendo o principal meio de informação sobre as expectativas, visto sua credibilidade e por conter as expectativas de mais de 100 empresas. Entre os principais indicadores do Boletim Focus estão:

  • Taxa Selic Meta
  • IPCA
  • IGP-M
  • PIB (Produto Interno Bruto);
  • Taxa de câmbio (R$/US$).

A análise das expectativas da taxa de juros contribui para o investidor no momento de analisar os investimentos a serem realizados. Mudanças na expectativa da taxa de juros em 2021, podem indicar alterações inclusive em outros indicadores econômicos. Um exemplo claro desse tipo de situação é a pandemia do Coronavírus, economia mundial teve uma alteração brusca, o que impactou na taxa Selic.

As expectativas do mercado para a inflação, por exemplo, influenciam na expectativa para taxa de juros. A Selic é um dos principais mecanismos para alcançar as metas de inflação, uma expectativa de alta no índice de preços (IPCA) tende a gerar uma elevação nas expectativas para a taxa básica de juros. Afinal, o Banco Central tende a elevar a taxa de juros quando a inflação está em alta, o objetivo desse movimento é conter a demanda a partir do encarecimento do crédito.

Recentemente, o Banco Central elevou a Selic de 2% para 2,75% e o Focus revisou as expectativas da Selic para cima, pois o início do ciclo de elevação dos juros foi em magnitude maior que a consolidada no boletim.

É interessante explicar que o IPCA, semana após semana, teve as projeções revisadas para cima e serviram como um “alerta” ao Banco Central em relação ao risco de não cumprir a meta de inflação para esse ano, 3,75%. Ou seja, a expectativa de inflação influencia a expectativa de juros. E, consequentemente, influencia as expectativas de crescimento.

As variáveis econômicas estão relacionadas e os economistas e analistas utilizam modelo econométricos para projetá-las, existem muitos profissionais dedicados a estudar esses indicadores. Por isso, o Boletim Focus acaba servindo como uma referência sobre a “expectativa do mercado” para o desempenho de algum indicador.

A imagem abaixo ilustra a apresentação das projeções para 2021, mas os dados são disponibilizados para até 2024. As últimas duas colunas mostram o número de semanas que o indicador vem sendo revisado com a orientação da direção e o número de contribuições de projeções.

No site do Banco Central você pode conferir semanalmente, às segundas-feiras (exceto feriados), a divulgação do Focus: https://www.bcb.gov.br/publicacoes/focus.

There are no comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart