Veedha ESG – A Igualdade de Gênero nos Mercados.

Por: Luiz Fernando Quaglio

A Igualdade de Gênero nos Mercados.

Mais duas pesquisas divulgadas este mês de março, conhecido como mês da mulher, nos chamaram a atenção na jornada pela Igualdade de Gênero nos mercados brasileiro e internacional.

A primeira é a iniciativa “Bolsas de Valores Sustentáveis” da ONU, que lançou um ranking das bolsas do G-20 pelo “equilíbrio de gênero de seus Conselhos.
A pesquisa analisou os Boards e número de CEO´s de 100 empresas nas 22 principais bolsas de valores dos 20 países mais ricos do mundo.

Principais pontos:

  • Mulheres detêm 20% dos assentos no Conselho nos mercados do G20;
  • As mulheres ocupam 5,5% da cadeira e 3,5% dos cargos de CEO nos mercados do G20.
  • 6 dos 22 mercados têm regras que exigem um número mínimo obrigatório de mulheres em conselhos corporativos
  • Euronext Paris (França) tem a maior percentagem (44,3%) de mulheres nos conselhos de administração de todos os mercados do G20;
  • A Bolsa de Valores de Johanesburgo – África do Sul – (FTSE/JSE) tem o melhor equilíbrio de gênero nos conselhos (28,5%) de qualquer país em desenvolvimento no G20;
  • A Bolsa de Valores de Shenzhen – China (DJSZ) tem o maior número de CEO’s do sexo feminino (11 das 100 maiores empresas) de qualquer mercado do G20;
  • A Bolsa de Valores da Austrália (ASE) tem o maior número de presidentes femininos (14 das 100 maiores empresas).
  • A Bolsa de valores do Brasil (B3) ocupa o 14o lugar, com 12,1% de mulheres em Conselhos.

A segunda pesquisa foi Coordenada pela FIA Employeed Experience (FEEX) aplicada a iniciativa FIA e UOL para “Prêmio Lugares Incríveis para trabalhar”. Dentre suas principais conclusões destaca-se o fato de que “As empresas que conseguem criar ambientes saudáveis e produtivos para os funcionários têm mais mulheres na liderança do que a média das organizações no Brasil”.

Outro dado importante. “Entre as 100 empresas classificadas como Lugares Incríveis na edição 2020 da pesquisa, a presença feminina nos cargos iniciais de liderança é de 49% contra 42% da média do mercado, de acordo com dados do Ministério da Economia. Na média liderança, são 35% contra 27%. Na diretoria, 18% ante 14%. ”

A ação para a igualdade de gênero nos mercados já seria suficientemente importante enquanto fato social para rupturas as desigualdades, mas não se trata apenas desse elemento. Empresas com maior igualdade possuem capacidade comprovada de incremento de produção, rentabilidade, ambiente de inovação, retenção de talentos e menores índices de turn-over.

Hoje já é possível, inclusive, investir aqui na VEEDHA em produtos financeiros que fomentam a igualdade de gênero nos mercados brasileiro e global.

Converse com a gente. Na VEEDHA ESG é possível gerar impacto positivo tendo performance e rentabilidade na sua carteira de investimentos,

Fonte: https://sseinitiative.org/all-news/the-state-of-gender-equality-in-g20-markets/

Share this post

There are no comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart