“Economila – O que é o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)?”

Por: Camila Abdelmalack

O cálculo desse índice de preços é realizado mês a mês pelo IBGE nas maiores cidades do Brasil. Sua principal finalidade é refletir o custo de vida da população nas regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Vitória, Porto Alegre, Brasília, Goiânia e Campo Grande.

O cálculo e a divulgação do IPCA são feitos pelo IBGE e os dados são coletados entre os dias 1 e 30 (ou 31) de cada mês e abrange as famílias com renda mensal entre 1 e 40 salários mínimos e leva em consideração uma cesta de produtos e serviços.

Qual a leitura do IPCA?

Um aumento do IPCA indica que o custo de vida da população ficou mais caro. Por outro lado, o custo de vida torna-se mais barato quando verificamos uma redução na taxa do IPCA.

Por que existe a “sensação” de que a inflação divulgada pelo IPCA não reflete a realidade?

O IPCA mede uma cesta de itens e serviços que fazem parte da nossa rotina. Cada um tem peso maior ou menor conforme a presença deles na cesta de consumo média da população. Assim, os itens relacionados à alimentação costumam ter peso maior do que, por exemplo, comunicação ou vestuário.

Participação dos Grupos de bens e serviços no IPCA

Fonte: IBGE/Sidra

Enquanto a inflação ficou em 4,52% em 2020, o custo de produtos alimentícios subiu 14%, representando um impacto de 2,73 ponto percentual no índice de preços. Alimentação é uma questão de subsistência, não é como um serviço que você deixa de utilizar para economizar ou como um bem supérfluo que se pode postergar a compra. Isso explica por que o item Alimentação responde pelo maior peso dentro do IPCA.

No entanto, outros grupos de preços amorteceram essa alta. A crise trouxe o isolacionismo; a queda de 4,1% do PIB em 2020 teve como percussora a contração de 4,5% dos serviços. Com isso, os preços de serviços registraram alta de apenas 1,73%, a menor taxa em oito anos. A deflação de 17,15% no preço das passagens aéreas foi a principal influência, mas outros itens pesaram: hospedagem (-8,07%); transporte por aplicativo (-5,77%), seguro voluntário de veículo (-7,91%) e cinema, teatro e concertos (-1,68%).

A figura abaixo explica como funcionou a distribuição da inflação de 4,52% em 2020.

Grupos pesquisados – Variação e impacto percentual no índice no ano de 2020

Fonte: IBGE

O que está acontecendo?

A inflação ao consumidor (IPCA) está acelerando no acumulado em doze meses em consequência das taxas marginais mais salgadas do segundo semestre de 2020. Naquele período, os alimentos e bens industriais ficaram mais caros por conta do desabastecimento, reflexo da paralisação das atividades de logística e comercialização.

O descasamento entre oferta e demanda, resultado da característica isolacionista desta crise, trouxe um problema de abastecimento. A insuficiência de estoque de insumos e matérias-primas para produção de bens industrializados elevou os preços, com uma pressão ainda maior após a retomada das atividades econômicas.

No Brasil, a velocidade da retomada está ameaçada pela lentidão na vacinação e pelo retrocesso na reabertura das economias como paliativo para a situação. Isso tende a abaixar os preços dos itens mais sensíveis à atividade econômica, como serviços.

Por outro lado, as economias desenvolvidas estão com o processo de vacinação avançado e, portanto, devem experimentar uma recuperação mais forte e mais rápida. Isso está influenciando nos preços internacionais de commodities (grãos, metais e energia) e inevitavelmente irá repercutir nos preços que consumimos. Além, é claro, da taxa de câmbio que, por causa da valorização do dólar frente ao real, deixará muitos insumos mais caros.

Esse último aspecto justifica a preocupação dos investidores com a trajetória da inflação nos próximos meses. Há uma expectativa de que em junho o IPCA esteja caminhando ao redor de 6%.

Perspectiva para inflação no Brasil – Projeção Veedha

Como o IPCA interfere nos seus investimentos?

O IPCA serve como indexador para investimentos e aplicações financeiras. Para quem busca um investimento que proteja sua carteira contra a inflação, o IPCA pode ser uma excelente ideia.

O Tesouro IPCA é uma modalidade de título do Tesouro Nacional que paga uma rentabilidade prefixada mais a variação do IPCA no período.

Outros investimentos que podem te proteger da inflação:

  • A LCI e LCA são títulos de renda fixa com cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).
  • As Debêntures, que são títulos emitidos por grandes empresas a fim de captar recursos para realização de novos investimentos.
  • Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) e Certificado de Recebíveis Agrícolas (CRA).
  • Fundos de Investimento de renda fixa compostos por títulos atrelados ao IPCA e fundos imobiliários

There are no comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart